informe-se com a sulfite

Confira quatro dicas para que o setor de suprimentos de sua empresa deixe de ser somente operacional e tático e passe a ser estratégico


23 de Março de 2017

1 - Construir mapa estratégico e definir indicadores:

O setor de suprimentos é o principal responsável por assegurar à disponibilidade do item a ser comercializado e/ou fabricado dentro de uma empresa. Sem este, a organização não consegue dar andamento ao seu objetivo final, que é atender o cliente e obter lucro.

Deste modo, o setor deve construir seu mapa estratégico, com seis pilares a serem descritos e planejados:

*A missão, quem somos e porque existimos;

*Visão, o que queremos ser;

*Valores, o que é importante para nós;

*Estratégia, nosso plano de jogo ou plano de voo;

*Mapa estratégico traduz a estratégia;

*Balanced Scorecard, mensuração e foco.

Obs.: O planejamento do mapa estratégico deve andar junto com os objetivos da empresa como um todo.

 

2 - Captar e homologar fornecedores:

Expressado o desejo de parceria por um fornecedor, segue três passos importantes para uma parceria saudável e douradora:

*RFI - Request for Information - solicita-se todas as informações necessárias do produto, bem como documentos que atestem sua qualidade. Sendo matéria-prima estas informações são cruciais para que a imagem da empresa perante os clientes seja o desejado;

*RFP - Request for Proposal - solicita-se uma proposta de fornecimento, alinhando em ambas as partes a melhor forma de fornecimento;

*SLA - Service Level Agreement - efetivar o acordo de nível de serviço, sempre documentado e assinado por ambas as partes. Uma das formas mais eficazes é a responsabilidade contratual.

 

3 - Aplicar processo de Strategic Sourcing:

Conhecer seu fornecedor parceiro e o mercado ao qual ambos estão inseridos é o segredo de um setor estratégico em compras.

Existem ferramentas muito eficazes para análise e informação, de produtos e mercado, seguem algumas delas: a priorização de produtos, matriz estratégica de produtos/serviços, KIT e KIQs, análise de Porter e Pestal, matriz de vulnerabilidade, entre outras.

 

4 – Negociar:

Os melhores parceiros podem ser notados mediante a primeira negociação, onde se consegue visualizar o desprendimento de um acordo no qual seja bom para ambas as partes. Não perca tempo com fornecedores aos quais não possuem viés de negociação, estes são considerados egoístas e imaturos e provavelmente seus produtos ou serviços tem validade no mercado.

Duas das cinco práticas mais eficazes de uma boa negociação são: fazer um diagnóstico da situação, nunca fechar um negócio na primeira reunião; e a segunda delas é o complemento da primeira, construa sua tática para o segundo momento de negociação, e se não se sentir seguro e satisfeito com o resultado perante seus objetivos traçados, reagende e reestruture as ações.

 



Tags: Sulfite, Assessoria de Imprensa, Marta Cagliari, serviço, consultoria, suprimentos




Informe-se com a sulfite comunicação e eventos